MULHERES NOS QUADRINHOS
 

 
Sobre personagens mulheres dos quadrinhos, que descobri lendo outro blogs, principalmente o blog Velta Quadrinhos.
 
 
   
 
Sexta-feira, Junho 30, 2006
 
Versões femininas de Super-Heróis Brasileiros - Parte 3





A Judoka, e Luara de Rod Gonzalez

O primeiro super-herói brasileiro a ter sua versão feminina foi o Judoka. Mesmo ainda nos anos 70. Lucia, namorada do Judoka, ao descobrir sua identidade passou a agir ao seu lado e se tornar presença constante nas aventuras do herói sempre lutando ao seu lado.
O Luã, personagem de Rod Gonzalez também possui sua versão feminina, Luara, que também surgiu na infância do autor. É a namorada do herói, também vinda da Lua! Sua origem ainda é cercada de mistério...










Nos desenhos:
A Judoka nas revistas DO Judoka, e em cenas de luta de dentro das revistas e num novo desenho bem musculoso feito por Sandro Marcelo. Num dos desenhos, Lúcia, a identidade civil da Judoka, quando ainda não sabia que ele era o Judoka, num típico biquíni dos anos 70. Luara de Rod, nas arte de Óqui, Bruno Sauerbronn (Visite o QG - Quartel General dos Super-Heróis Brasileiros - pra conhecer mais o trabalho desse promissor artista http://fotolog.terra.com.br/sauerbronn)
No início da postagem, o Luã, na versão obscura de Rogério Aguiar.
Noutros desenhos, Blenq e Luã, por Óqui novamente. Não são mulheres, mas vamos abrir exceção porque temos uma boa notícia. Aguardem a HQ desses super-heróis que já está pronta! Enquanto isso acompanhem o fotolog de ilustrações do Óqui: http://fotolog.terra.com.br/portifoliodooqui
Noutra arte, Luara, por Dan Antonelli (vejam as assinaturas dos artistas, ao pé das imagens). Conheça mais trabalhos do Dan, que também colorizou uma HQ da Velta de Emir Ribeiro, e que breve estará disponibilizada neste mesmo blog. http://fotolog.terra.com.br/danantonelli

E vem aí a última postagem antes da esperada série de CINCO histórias coloridas de VELTA.
Para encerrar, Naiara e Mirza, as duas vampiras brasileiras que também foram publicadas em cores.

Terça-feira, Junho 27, 2006
 
Versões femininas de Super-Heróis Brasileiros - Parte 2

Tem também a Patrulheira, que nos remete ao Vigilante Rodoviário!!

Criação de Roberto Sabino, e baseada numa pessoa real, o nome da personagem é Maria Alice Nascimento Souza, ou simplesmente "Alice", a primeira policial a trabalhar no policiamento de estrada, a vocação veio da admiração pelo pai, que foi policial rodoviário (hoje aposentado) do 1º batalhão rodoviário do estado, e que lhe falava das dificuldades do inicio; com as estradas de barro e da falta de estrutura dos primeiros anos.

Na medida do possível dentro da profissão de policial, Alice é uma pessoa humana, idealista, integra, e para querer viver assim neste sistema com tanta corrupção, realmente tem que ser um herói, (ou heroína).
Ela tem muitos amigos na comunidade que vive à beira da estrada, são os estudantes de um pequeno vilarejo, Jonas o frentista que trabalha num posto de serviços, próximo ao posto policial, Dona Joana a doceira e Pedrinho, garoto órfão de pai que trabalha à beira da estrada para ajudar a mãe, todos eles fazem parte do universo de Alice; participando de suas aventuras juntamente com seus colegas policiais.

A grande força do personagem é a identificação que as pessoas têm com Alice, pois ela é humana como nós, podendo passar por todas as coisas que sofremos: medo, angustia, coragem, revolta; ou seja ela é vulnerável como cada um de nós, e luta pelo que acredita é quer viver numa terra onde haja igualdade e justiça para todos.

Gralhete é a versão feminina do Gralha, que por sua vez é uma atualização do Capitão Gralha personagem de Francisco Iwerten nos anos 40. Bete ao descobrir a identidade do Gralha tentou ser sua parceira, mas acabou por iniciar uma bem sucedida carreira de modelo, deixando um herói apaixonado abandonado... De um herói mais recente, Topman, temos a Topwoman criada por Joseilson...

Também nos anos 70 foi criada primeiro na tv outra super-heroína brasileira, dessa vez uma versão feminina do humorista Mussum do programa clássico de televisão os Trapalhões que fez muito sucesso nos quadrinhos, a Nega Maravilha!

Mais recente a trupe de humoristas do Casseta & Planeta criaram um desenho animado com uma versão feminina do He-Man, que já teve hqs produzidas no Brasil por Watson Portela, onde criava personagens próprios. Bem não é uma versão tão feminina assim, na verdade trata-se de She-Man, a primeira heroína lésbica do mundo!


Quarta-feira, Junho 14, 2006
 
Versões femininas de Super-Heróis Brasileiros - Parte I

Uma das maneiras que recentemente os super-heróis brasileiros clássicos tem sido homenageados é através de versões femininas. Novas personagens que surgem a todo momento, em homenagens a esses clássicos!

A mais conhecida é a Mulher de Lua criação do Felipe Meyer (acima). Uma versão feminina e erótica do Homem-Lua de Gedeone. Ela faz parte do grupo Marcianos (abaixo), repleto de homenagens a super-heróis brasileiros clássicos. Esbelta - versão da Velta, Capitão Raio - Raio Negro, Zé Caveira - Crânio e Golden Dj - Golden Guitar.

Os vilões também são inspirados em personagens conhecidos Inquisidor - versão do Redentor, Dorotéia - Doroti , Mustafá - um inimigo do Homem-Lua e personagens coadjuvantes como Lidia - versao feminina de Lid, amigo do Raio Negro e aqui surgiu a Sétima (abaixo) - versão feminina do Cap. 7 de quem falarei a seguir.



Ainda têm a Tropa de Vênus -antigas companheiras de Lidia e a International League of Gang-Bang que um grupo antagonista aos
Marcianos também conhecidos como Liga da Sacanagem, heróis que trabalham em filmes pornôs, mas o diretor secretamente tem planos de dominação mundial.
A personagem Sétima é cercada de mistérios. O que sabe até agora é que é Paula Cazaes, a sétima filha de uma poderosa bruxa. Exista uma crença de que a sétima filha de uma prole sem homens tem que ser batizada pela irmã primogênita para evitar que a menina vire uma bruxa. Mas essa era justamente o plano de sua mãe que utilizou receitas com ervas e poções para dar luz apenas a mulheres e afogou a primeira filha logo após o parto para impedir o batizado. Paula foi criada pelo pai, que fugiu com a criança nos braços quando ela tinha apenas 6 anos de idade, para o pesar da mãe. Ambos desconheciam a maldição que a transformaria em bruxa e Paula desenvolveu seus poderes com desconhecimento e surpresa ficando menos poderosa que a mãe. Ainda assim consegue voar e alterar sua aparência. Entre a meia-noite e o amanhecer seus poderes se intensificam e ela consegue se transformar uma fina névoa que pode adentrar edificações pela fechadura ou frestas de suas portas.
Possui as fraquezas de qualquer bruxa, tais quais aversão a símbolos sagrados e vulnerabilidade a "mandingas" e rezas-fortes e com fé!
Mas restam os mistérios de que tenha alguma ligação com o Capitão 7 ou não, Felipe Meyer nunca a mostrou totalmente de fronte deixando dúvidas se possui um símbolo 7 igual o do Capitão 7 estampado! Recentemente nos brindou com uma bela ilustração com uma banda de rock formada por meninas vestidas de super-heróis brasileiros.

A Mylar, a Judoka, Metaleira (versão feminina do Metaleiro, filho do Golden Guitar), Sétima de novo e uma versão feminina do Escorpião I - fase Wilson Fernandes (azul). Silvana, a namorada do herói Capitão 7, também em certa altura da série adquiriu super-poderes e participava das aventuras do super-herói, como na edição contra as Panteras, ainda nos longínguos anos 50! Acredito que seja uma informação inédita, já que até então nunca tinha ouvido comentários sobre o fato. Mas a verdade é que a cronologia do Capitão 7 inclui mais detalhes que só serão absolutamente conhecidos quando o acesso a tais preciosidades da nossa
história em quadrinhos não forem de acesso tão restrito e distante ! Mais informações sobra a família de alguns grandes super-heróis brasileiros (retirado de http://fotolog.terra.com.br/grandesherois:7 )
Capitão 7: seus filhos são conhecidos como 7º Homem e Futura.
Raio Negro: os filhos do Raio Negro provavelmente apareceram pela primeira vez em Raio Negro # 1 (década de 90) da editora Icea. São filhos de Sales (O Raio Negro) com Marajoara, o nome do menino é Lid (mesmo nome do alien que deu o anel à Sales), e do da menina, Gisele!
Homem-Lua: também possui filhos.É líder do grupo clandestino para-militar A Lua, treina seu sucessor, Lunar.
Capitão Gralha: possui um neto, ou sobrinho (alguém sabe? Já ouvi as duas versões), o famoso Gralha e a versão-feminina dele, a
modelo Gralhete.
Golden Guitar: também conhecido como Capitão Guitarra é pai do herói Metaleiro.
O Judoka namora a Judoka!

CONTINUA NA 2ª PARTE. AGUARDEM.

Terça-feira, Junho 06, 2006
 
CENSURA HIPÓCRITA, IMORAL E DITATORIAL NOS FOTOLOGS TERRA

Vamos falar da hipocrisia da censura usando como exemplo a heroína Ápia, de Tony Fernandes. Reza a lenda que existem hqs eróticas da personagem (esposa do Fantasticman). Tem um desenho do J. J. Marreiro (criador da Mulher-Estupenda, e vejam matéria completa sobre ela nos arquivos deste mesmo blog), que também já sofreu problema de censura no Terra, com sua personagem.

Ápia é uma guerreira espacial do planeta Vulcano. Além do poder de voar e da telepatia ela pode atirar descargas elétricas produzidas por suas antenas. Criada por Tony Fernandes para ser a codjuvante esposa nas hqs do herói cósmico Fantasticman, acabou chamando a atenção dos leitores e se destacando nas hqs.
Na intenção de concorrer com um certo bárbaro, Tony teria publicado a revista do Fantasticman (que saia por sua própria editora) num formato maior e, tal qual a similar estrangeira, permitir um peitinho aqui, uma bunda acolá.

Pois bem, a revista foi obrigada a circular lacrada e sofreu boicote nas bancas, tanto que apesar de muito comentada é uma raridade. É lógico que tom toda essa pressão e censura aos Quadrinhos Brasileiros, dificilmente a coisa vai pra frente.
E em plenos anos 2000 a censura vitoriana continua, num atentado à democracia e à livre expressão.
Óqui, aliado da CQB, criador do querido e engraçado Tuba, desenhista de uma hq de Blenq e Luã do Rod Gonzalez, entre outros atributos, foi recentemente mais uma vítima de censura no Terra, que cortou desrespeitosamente suas imagens, mesmo sem ter nada de chocante, vulgar, ou obsceno.

Araucária é uma espécia de vilã dúbia (às vezes dá uma de heroína) da cidade de Curitiba, e possui uma relação conturbada, com um quê de romance com o herói Gralha. Por andar com os Seios desnudos, apenas com uma pintura na cor verde por sobre os bicos, que nos remete ao simbolo da cidade (justamente os pinheiro ou aráucaria, um desenho em homenagem a personagem feito pelo artista Óqui foi censurado pelos retrogrados administradores do Terra).

Como sempre uma super-heroína brasileira é censurada, enquanto as estrangeiras fazem o que querem sem serem incomodadas pelo censores e inquisitores de plantão.
VELTA, THUTHARELLA, MULHER-ESTUPENDA, SIBELE A ESPIÃ DE VÊNUS, ANGÉLICA FILHA DE SATÃ, BRAGARELLA, ÁPIA, ARAUCÁRIA... Até quando nossas beldades será censuradas. Temerão a sua força os agentes dos conglomerados editoriais internacionais?

Por isso, nas próximas edições de Mulheres nos Quadrinhos estaremos postando uma série de super-heroínas brasileiras, para fechar a série com chave-de-ouro e antecipar a publicação da hq completa VELTA CONTRA DOROTI, e a primeira parte de A ILHA NA ESQUINA DO TEMPO. Ao mesmo tempo, estaremos promovendo um concurso para que mais artistas façam desenhos das nossas heroínas dos quadrinhos e ... AGUARDEM, que vem coisa muito boa por aí, galera. Tudo contra essa censura fascista de carolinhas da Igreja da santa Inquisição, que após anos de ditadura e falta de liberdade, estão insistindo em nos atormentar!

LEGENDA DOS DESENHOS:
1 - Velta tomando banho por Elton Brunetti. Mal aparecem os seios, ofuscados pelos vapores da água do xuveiro, mas mesmo assim sofreu censura.
2 - Ápia - a bela esposa de Fantastican em cenas do gibi original e na arte de J. J. Marreiro.
3 - Sequência de luta da Ápia contra Mitra, uma vilã sensual, na arte do criador Tony Fernandes, Leia uma entrevista com esse famoso criador de super-heróis brasileiros feita por Linc Nery:
http://www.brazilcomics.hpg.ig.com.br/tony_fernandes.html
E os Guerreiros Ninja, outos personagens do Tony : http://www.rod121.gigafoto.com.br/?id_foto=3729495
4 - Araucária- vilã das hqs do Gralha na arte de Óqui. A personagem foi censurada no terra apenas por estar com os seios pintados.

 

 
   
  This page is powered by Blogger, the easy way to update your web site.  

Home  |  Archives